Sindicato denuncia situação caótica nas delegacias do Piauí

O Sindicato dos Policiais Civis do Piauí está denunciando a situação caótica que se encontra alguns departamentos policias do estado.

O presidente do sindicato, Constantino Junior, falou ao R10 sobre as condições precárias que as unidades se encontram. Segundo informações do presidente, o 3° DP está com o teto comprometido e, quando chove, a delegacia alaga, além do risco de desabamento do teto.

“Há infiltrações nas paredes, o teto está cedendo e os policiais com seu dever de ofício são obrigados a ficar 24h nas unidades policiais”, disse. 

Constantino também disse que falta combustível nos veículos e isto compromete o trabalho dos policiais. “Nós temos problemas de combustível, as viaturas são abastecidas apenas 3 vezes por semana tudo isso para delegacias que funcionam 24h”, afirmou. 

Ele ainda cita um caso do 4° DP onde duas viaturas foram fazer o abastecimento, mas apenas uma foi abastecida. Já o outro veículo, um policial teve que tirar do próprio bolso para sair com o carro.

Várias denúncias já foram feitas e o estado já foi condenado a pagar R$ 100 mil reais em danos morais coletivos, segundo Constantino. Mesmo com toda essas condenações, as melhorias e resultados não são notáveis para a categoria. 

Enquanto isso, a busca por uma maior atenção por parte do governo vai continuar sendo cobrada, e reivindicações serão feitas para que o poder público tome as devidas providências sobre o descaso nas delegacias do Piauí.

O outro lado

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Piauí (SSP-PI) informa que está em processo licitatório a implantação de um programa de recuperação de todas as delegacias de Teresina e do interior do Piauí. Algumas pessoas já foram contratadas para fazer os primeiros estudos.

A SSP-PI também esclarece ainda que o fornecimento de combustível está ocorrendo normalmente. As viaturas policiais estão trabalhando dentro da normalidade. Os veículos só deixam de rodar em caso de manutenção técnica. (R10)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *